Presidente da República diz que crise não se resolve com medidas isoladas

0
522
views

O Presidente da República, Filipe Nyusi, defendeu, ontem, na cidade da Beira, a capital da província central de Sofala, que a crise económica e financeira com que o país se debate nunca se pode resolver de forma isolada, mas através de uma conjugação de uma série de acções.

O Chefe do Estado moçambicano falava à imprensa, momentos depois de inaugurar algumas unidades económicas, incluindo uma fábrica de cimento e outra de processamento de feijão ‘bóer’, no quadro da visita de trabalho de quatro dias.

Antes, Nyusi visitou uma fábrica de processamento de pescado (PescaMOZ), localizada no Porto da Beira, e inaugurou, no mesmo recinto, a unidade Terminal de Triagem de Camiões, acto que teve lugar no final da tarde, depois de, pela manhã, ter escalado o distrito de Machanga e ter orientado uma sessão extraordinária do Governo provincial, alargada aos administradores distritais, presidentes dos conselhos municipais e outros quadros.

“A crise não se pode resolver isoladamente. Uma série de coisas devem ser desencadeadas e uma delas é esta”, afirmou Nyusi, numa referência as unidades económicas que acabava de visitar e inaugurar. Realçou que nas visitas que vem efectuando pelo país, tem transmitido, à população, uma mensagem de apelo ao aumento da produção, “mas isso implica uma cadeia de actividades”.

Segundo o estadista moçambicano, a mensagem de sensibilização para o aumento da produção está a ser compreendida, mas surgem problemas que tem que ver, por exemplo, com o acesso ao mercado, armazenamento, processamento, entre outros.

Neste contexto, Nyusi afirmou que as unidades fabris, ora inauguradas, integram essa cadeia de valor e são parte da solução dos problemas do país.

“É extremamente importante completar o nosso discurso de apelo à produção, colocando a fábrica que transforma, o armazenagem e o próprio mercado”, afirmou. Aliás, no comício que orientou na vila-sede do distrito de Machanga, cerca de 400 quilómetros da cidade da Beira, o Presidente da República focalizou a sua mensagem na necessidade de aumento da produção como forma de fazer face ao elevado custo de vida que afecta não só a população daquele ponto do país, mas também todo o país e o mundo, em geral. Uma das preocupações colocadas ao Chefe de Estado pela população de Machanga foi a fome, resultante da fraca colheita na campanha agrária ora em curso, devido à estiagem, mas também a insegurança provocada pelos ataques armados da Renamo.

 

“Preparem as vossas machambas”

 Em Sofala, Nyusi desafiou a população a preparar, o mais cedo possível, a próxima campanha agrária, pois há previsões de chuvas normais.

“Comecem agora a preparar as vossas machambas. O elevado custo de vida deve-se à fraca produção. Por isso não queremos que uma família chore de fome enquanto chover. Vamos trabalhar”, exortou Nyusi, vincando haver condições para Machanga poder se desenvolver.

Quanto à tensão militar, Nyusi reiterou a disponibilidade do governo em tudo fazer para o alcance da paz e apelou a população para rejeitar quaisquer acções que atentem contra a estabilidade do país.

 

Ataques

A população do distrito de Machanga, na província de Sofala, manifestou o seu total repúdio aos ataques protagonizados pelos homens armados da Renamo, sobretudo nas regiões Centro e Norte de Moçambique. Numa mensagem apresentada ao Presidente da República, Filipe Nyusi, que esta segunda-feira escalou aquele distrito, no arranque da sua visita de trabalho de quatro dias a esta parcela, a população disse estar a viver sempre na incerteza por temer ser surpreendida pelos ataques. “Vivemos tristes por causa dos ataques dos homens armados da Renamo. Vivemos na incerteza.  Basta de lágrimas de terror”, destaca a mensagem. Contudo, a população diz esperar que as múltiplas mensagens proferidas pelo Chefe de Estado, incentivando o diálogo para o alcance da paz efectiva, se traduzam em realidade e que a Renamo entenda a necessidade de diálogo para a estabilidade. “Apelamos ao diálogo. E’ pelo diálogo e não pelas armas que Moçambique irá crescer”, vinca a mensagem.

Opais   


Warning: A non-numeric value encountered in /srv/users/noticias/apps/noticias/public/wp-content/themes/ionMag/includes/wp_booster/td_block.php on line 1008

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here